6 novembro 16

Chapa Quente reúne mais de 15.700 apaixonados por hambúrguer neste fim de semana

Mais de 15.700 pessoas passaram pelo Chapa Quente 2016 neste fim de semana, 5 e 6 de novembro, no Jockey Club de São Paulo, de acordo com a organização do evento. O festival chegou ao fim neste domingo, em um dia de muito sol – nem a chuva do fim da tarde espantou os apaixonados por hambúrguer, que aproveitaram ao máximo as comidas, bebidas e programação cultural, num clima de festa e descontração.

Ao final, os frequentadores e artistas do maior festival de hambúrguer do mundo elogiaram a energia do evento, que reuniu grupos de amigos, famílias inteiras, muitas crianças e até bichinhos de estimação.

Ricardo Matsukawa/ UOL Burger Fest

Famílias inteiras vieram curtir o último dia do Chapa Quente

Chefs apostam na criatividade: conheça os burgers diferentões do festival

Último dia do Chapa Quente tem sol, comida e muito movimento

Churros, pudins e limonadas conquistam público

Ricardo Matsukawa/ UOL Burger Fest

Público curtindo o Chapa Quente mesmo debaixo de chuva

Ricardo Matsukawa/ UOL Burger Fest

Público curtindo os burgers no último dia do Chapa Quente 2016

“A gente vê pessoas de 2 a 99 anos curtindo o show, é muito bonito”, dizem as integrantes do Corcel, que atraíram muita gente para perto do palco ao som de folk. “A disposição dos food trucks como foi feita, com o palco na frente, ajuda muito, o pessoal curte de todos os lugares.” Neste domingo, as meninas do Corcel abriram a programação musical, que contou ainda com O Bardo e o Banjo, Off The King, Oldischool, Léo Ruas e The Dogs, agitando o público e fazendo todo mundo dançar.

Flávio Florido/ UOL Burger Fest

Corcel no Chapa Quente

Os artistas de O Bardo e o Banjo, que subiram ao palco com seu folk rústico, concordam. “A gente percebe o clima bom de domingo. Como o pessoal pode trazer os bichos de estimação, é aberto, acessível, a energia é essa. O pessoal vem comer, tomar uma cerveja e ouvir uma música. Uma combinação muito legal”, diz Wagner Creoruska, o dono do banjo, antes de ir experimentar os hambúrgueres.

Ricardo Matsukawa/ UOL Burger Fest

O Bardo e o Banjo no Chapa Quente 2016

Quando a chuva chegou, os rapazes do Off The King não se abalaram. Com hits do Tim Maia, Skank e Paralamas do Sucesso, conseguiram manter a disposição do público, que ficou debaixo d’água ou se escondeu nos toldos e guarda-chuvas. “A galera vem num espírito muito bom pra cá. É só a gente conseguir acessar isso, e nosso estilo animado e dançante ajuda”, explicou o vocalista Henrique Mutschler, depois do show. Mesmo pegando a hora da chuva, ele estava satisfeito: “O legal é ter a dificuldade e conseguir superar. Estamos muito felizes”.

Ricardo Matsukawa/ UOL Burger Fest

Off the King no Chapa Quente 2016

A banda foi aprovada por Arnaldo Tonela, sua esposa e um casal de amigos, que vieram para ver O Bardo e O Banjo, mas dançaram na chuva ao som de Off The Kings, que não conheciam: “Eles são ótimos, não é uma chuva que vai impedir a gente de curtir”.

Ricardo Matsukawa/ UOL Burger Fest

Público curtindo o Chapa Quente mesmo debaixo de chuva

Ricardo Matsukawa/ UOL Burger Fest

A programação cultural ficou completa com a apresentação de artistas, fazendo suas performances ao vivo. Para Rafael Sanches, artista que participou do live painting – pintura ao vivo – neste domingo, o clima familiar é marcante no Chapa Quente: “É bom o contato com a criançada que fica em volta enquanto a gente pinta”.

Além dele, a artista Leiah Kimura também mostrou sua arte ao vivo, na Art Battle, e concordou: É muito prazeroso pintar para um público tão heterogêneo. Eu via a curiosidade das crianças, comentando com os pais. É muito legal ver como acabamos instigando novos públicos”. E festejava: “Não esperava tanta gente. Estava bem cheio! Foi muito bom”. Agora, é aguardar por mais um fim de semana de festas, alegria e comida boa em 2017.

Ricardo Matsukawa/ UOL Burger Fest

Rafael Sanches fazendo live painting no Chapa Quente 2016